Como Evitar a Sobrecarga de Informação.

O Que é a Sobrecarga de Informações e 5 Dicas Para Deixar de Ser um “Aprendedor Profissional” e Se Tornar um Fazedor

Admita: isso já aconteceu com você.

Você está pesquisando e aprendendo e encontrando informações, mas você sente como se estivesse cavando um buraco.

Há opiniões conflitantes e debates sem conclusões e você não sabe qual conselho seguir ou no que acreditar. A pior parte é que você realmente quer fazer a coisa certa. Você quer descobrir o que realmente funciona e usar isso.

Porém, não importa o quanto você leia, assista ou ouça, a clareza que você estava procurando quando começou este processo de descoberta não vem até você, e você acaba ficando mais confuso do que estava quando começou.

Você tem um terrível caso de sobrecarga de informações – ou, o que eu gosto de chamar de pesquisite.

Neste guia nós discutiremos a sobrecarga de informações, como as informações às vezes podem ser uma coisa ruim, e como lidar com a paralisia de análise que resulta da sobrecarga de informações.

Vamos seguir em frente.

O Custo Surpreendente da Sobrecarga de Informações

Quer saber o que é irônico sobre a sobrecarga de informações?

A maioria de nós que se sobrecarrega com informações acha que está sendo produtiva. Nós estamos aprendendo, afinal. O que é mais produtivo do que descobrir o que você não sabe?

Porém, a sobrecarga de informações nos deixa em estado de paralisia, e se nós não usarmos as informações que estamos aprendendo imediatamente, nós perdemos até 75% dessa informação de nossas memórias e cérebros, tornando todas as informações que estamos recebendo quase inúteis.

Estudos mostram que apenas as interrupções (apenas um pequeno aspecto da sobrecarga de informações) custam cerca de U$1 bilhão anualmente.

Considere o que isto faz a você como um indivíduo.

No local de trabalho, a sobrecarga de informações tem um impacto negativo na produtividade, satisfação com o trabalho e no desempenho da companhia. Você acha que isso é diferente para o seu trabalho pessoal?

Sobrecarga de informações em sua vida pode causar:

  • Paralisia Por Análise: Com que frequência você quis fazer algo, mas ficou sobrecarregado com as informações jogadas diante de você? Você fica paralisado com todas as opções, opiniões e informações conflitantes diante de você.
  • Problemas de Produtividade: Quando nós estamos pesquisando e absorvendo informações, nós estamos dizendo a nós mesmos que estamos sendo produtivos. Porque isso realmente parece produtivo! Mas você só estará sendo produtivo se você agir com o que estiver aprendendo.
  • Falta de Foco: Sobrecarga de informações através de mídias sociais, e-mail e muitas outras causas é a principal inimiga do foco. Se você não conseguir se focar em uma tarefa, ela leva muito mais tempo para ser feita. Então escrever um artigo que deveria levar uma hora se torna um projeto de quatro horas.
  • A Nossa Incapacidade de Ser Um Professor Eficaz: Você já notou que os melhores professores são iniciantes para o conceito que estão ensinando? Se você já pediu a um especialista para explicar como funciona o mercado de ações, por exemplo, ele provavelmente ficará frustrado. Isso funciona apenas em suas mentes, e é difícil explicar como. Eles sabem demais. Ensinar requer dividir as coisas e fundamentos básicos, e nós fazemos isto melhor quando somos iniciantes em uma ideia ou conceito.

Como Herbert A. Simon diz, “... uma riqueza de informações cria uma pobreza de atenção”.

Com todas essas novas informações sobre a sobrecarga de informações, você pode estar se perguntando: Em que ponto você está consumindo muitas informações? Como você reconhece a linha entre muito e não o suficiente?

Eu estou dizendo que você já tem as informações que precisa para começar. Qualquer coisa que você consumir deste ponto até você terminar um projeto específico é “demais”. E assim que você começar a se sentir sobrecarregado ou inseguro de que direção tomar, você absorveu demais.

Como Lidar Com a Sobrecarga de Informações Quando Você Está Paralisado Pelos Dados.

Você foi fundo demais.

Você assimilou muitas informações e agora está paralisado com a paralisia de análise.

Há muitas opções e estudos e pedaços de informações rebeldes flutuando em seu cérebro e você não sabe no que se focar.

Isto pode deixa-lo em um impasse. Nós todos já passamos por isso. Aqui estão as coisas que funcionaram para mim quando eu sofri com sobrecarga de informações.

  1. Restrinja os Especialistas Que Você Segue

Ao invés de ficar com paralisia de análise por não saber qual especialista seguir, faça uma regra geral para você mesmo:

Encontre UM especialista que você respeita. Um que você gostaria de emular – cuja carreira você admira e cujo trabalho você acha interessante. E então, dê preferência às suas descobertas.

Ninguém possui todas as respostas. Se você estiver tentando se tornar um escritor melhor, siga alguém cuja escrita você adora. Se você estiver tentando aprender sobre marketing por e-mail, emule alguém cuja campanha de marketing por e-mail você admira. Se você usar esta abordagem e aceitar que a pessoa chegou onde ela está usando suas táticas, isso irá clarear o seu caminho.

Todas as táticas que pessoas diferentes ensinam provavelmente funcionam. Tudo pode funcionar para alguém. Mas se você cortar todos os outros barulhos e se focar apenas em seguir as opiniões e ensinamentos de um ou dois especialistas, isso irá facilitar muito o seu trabalho.

  1. Distancie-se um Pouco

Assim que você já tiver contraído um caso de pesquisite, é difícil se desfazer de todas as informações que você já assimilou.

Então às vezes você precisa se distanciar.

Ao invés de tentar descobrir o que fazer com tudo isso agora, dê um passo para trás. Afaste-se e trabalhe em outra coisa, ou distancie-se de seu projeto de outra forma.

Quando eu enfrentei a sobrecarga de informações, eu descobri que mudar de direção e deixar meu projeto repousar por um tempo – talvez 2 a 3 semanas – me forneceu uma nova perspectiva.

  1. Faça um Experimento

A causa da paralisia de análise é a sobrecarga de informações. Mas o primo da PA é o medo. Nós ficamos paralisados porque temos medo de seguir o caminho errado.

Nós não queremos falhar. Nós temos medo de perder tempo, ou do julgamento dos outros, ou de nos desapontarmos.

Em um experimento não há fracasso. Apenas uma hipótese a ser testada. Então comece a ver o seu projeto como um experimento. Você não pode fracassar se estiver testando hipóteses. Você só está comprovando se ela está certa ou errada.

Então escolha a opção mais interessante e possível e comece a testá-la. Conforma você começar a testá-la, você descobrirá se a opção funciona para você. Se ela funcionar, você pode mantê-la. Caso contrário, siga em frente e experimente a próxima.

  1. Faça uma Limpeza de Informações

Quando você estiver lidando com pesquisite, às vezes a melhor coisa a fazer é uma limpeza de informações.

Pense no propósito de uma limpeza alimentar. Você faz uma limpeza para reiniciar as funções de seu corpo – é como uma faxina de primavera para o seu corpo.

Limpezas de informações são a mesma coisa.

O propósito da limpeza de informações é reiniciar o seu relacionamento com as informações e muda-la de consumidor para criador.

Tire uma pausa na absorção de informações – incluindo aquelas que parecerem irrelevantes para o que você está fazendo. Coloque-se em uma posição onde a sua única opção é criar ou agir com o conhecimento que você já possui.

Afinal, você já tem conhecimento mais do que o suficiente. Você só precisa agir.

  1. Pare de Aprender Compulsivamente

Espinafre é bom para você.

Na verdade, ele é um dos melhores alimentos do planeta para a sua saúde. Porém, se você comer muito espinafre, você estará ingerindo muito oxalato, que pode causar pedras nos rins.

Você acha que com as informações isso é diferente?

Algo bom em excesso pode ser ruim, e embora você possa estar certo de que precisaria comer uma tonelada de espinafre para obter esses efeitos, você absorve uma quantidade insana de informações todos os dias. Até mesmo antes de começar o trabalho, você provavelmente já está no limite da sobrecarga.

Então pare de pegar todas as informações e materiais que você encontrar.

Aprenda apenas aquilo que você precisa para chegar ao próximo passo.

Apenas Diga Não à Sobrecarga de Informações

Sobrecarga de informações é a inimiga da produtividade.

Isso parece produtivo porque você está “aprendendo”, mas na verdade você está perdendo tempo.

Não importa quão alta seja a qualidade das informações que você está absorvendo se você não agir imediatamente. Mas por sorte, você tem controle sobre quantas informações você quer consumir.

Ter todas as informações do mundo e não usá-las é como ser um milionário que não gasta nem um centavo.

Então você pode escolher. Você será um consumidor de informações inteligente, ou você será frívolo com seu tempo e energia?

Um forte abraço do seu Coach e Amigo,

Bruno Juliani.

P.S.: Conte abaixo nos comentários um problema que você possa estar enfrentando ou enfrentou por conta de excesso de informação.

P.S.2: Se você conhece algumas pessoas que sabem muito, mas fazem pouco, compartilhe esse artigo com ela 🙂

56 Comentários

  1. Sharon

    Exatamente isso! Comecei a aprender sobre o coaching, ai vem divulgação, lista de e-mail, fanpage, vídeo, marketing digital, vários programas de Coachs importantes com assuntos super interessantes e daí paralisei. Não sei o que faço primeiro, qdo acho que sei ja vem outra coisa para me tirar o foco.
    Realmente tem que dar um tempo, descansar a mente e começar de novo e devagar. Devagar e sempre!!!

    Responder
  2. Nina Araújo

    Caramba, era exatamente disso que eu precisava : filtrar as minhas fontes!
    Muito Obrigada pela dica!

    Responder
  3. Denise Camargos Tavares

    Não percebemos o quanto o conhecimento causa essa paralisia. Gerando até dúvidas – o que é um paradoxo. Obrigada.

    Responder
    1. Selma

      Boa Dica,realmente temos que limitar quem segui , caso contrário não vamos chegar a lugar nenhum.Abraço!

      Responder
  4. Cinthia

    Nossa, esse artigo veio na hora certa, estou fazendo meu TCC e li tanto sobre o assunto que não consegui nem escrever o projeto de tanto medo de não conseguir colocar claramente a minha ideia. Agora vou seguir essas dicas, vou ler um pouco, analisar escrever sobre aquele ponto e depois vou avançando. Gratidão Bruno, você realmente me ajudou muito!

    Responder
  5. juza

    Nossa eu estou doente! Que loucura, é bem isso que acontece e a gente nem se dá conta.
    Obrigada Bruno, como sempre, mais um artigo maravilhoso. Parabéns!

    Responder
  6. Sylvio Costa

    Eu poderia escrever laudas e mais laudas! Mas vamos dar um basta neste excesso e ser sucinto: -FALOU TUDO!

    Responder
  7. Renata

    ainda paralisada após minha formação, caí na armadilha do conhecimento e travei.

    Responder
  8. Letícia Rosa

    Amei. Descobrir o minha doença e o tratamento adequado. Obrigado.

    Responder
  9. Caio Mattos

    Fala Bruno, bom dia!

    Muito boa a sua matéria, caiu como uma luva para mim.
    Ainda não me formei coach, mas já tenho curso marcado para
    começar em agosto/16. Sendo assim , já decidi que quero levar
    a carreira de coach, então, já estou estudando muitas coisas.
    Às vezes fico achando que preciso estudar mais, me cobrando.
    Talvez eu deva focar mais em um ou dois assuntos específicos
    para ter um melhor resultado.
    Obrigado pela sua ajuda, escolhi você o Gerônimo e o Erico Rocha
    para seguir.
    Um axé de Salvador – BA.
    Oss

    Responder
  10. Jaqueline Motta

    Aaaah, então o nome é “pesquisite” hahaha. No meu caso, depois de algumas horas fazendo pesquisas que nem me lembro de qual o o start que me propus a pesquisar, sinto no meu corpo com uma sensação muito forte de aprisionamento. Parece que tô presa com cordas e a irritação logo depois pra me soltar é gritante. Daí eu tenho que levantar e andar um pouco, mas o pior é que por vezes a solução que me dou é fazer uma pesquisa diferente p acabar com essa sensação kkkkk

    Responder

  11. Nossa estava sofrendo de “Pesquisite” e nem sabia ao certo, muito obrigado Bruno Juliani por mais este ótimo artigo e vou colocar em ação agora mesmo o que eu aprendi e me livrar dessa pesquisite que mais paralisa do que leva para sempre, a partir de agora sou um consumidor inteligente de informação.

    Fellipe Santos.

    Responder
  12. Geni Moreira

    Olá Bruno, este artigo mais parece um diagnóstico da minha situação . Mas melhor que isso é que ele apresenta a prosposta de tratamento e cura. Eu vou me curar. Obrigada pela ajuda. Grande abraço e continuação de sucesso !

    Responder
  13. debbie

    Depois de ler isto tudo…. obrigada, acho que faço parte desta turma dos “normais”

    Responder
  14. Luciana Santiago

    Estou realmente sofrendo de pesquisite, mas seu artigo caiu como uma “pílula” !
    Gratidão, Bruno!

    Responder

  15. O principal problema que enfrento a respeito de overload information é realmente a sensação de não estar preparado para a ação. A eterna busca do plano perfeito, aquele que funcionará de primeira, aquele que não vai me deixar frustrado com seu resultado.
    Acontece que esse plano perfeito NÃO EXISTE e isso tem que ser compreendido e trabalhado. A única forma que conheço para trabalhar isso é a ação.
    Ouvi uma metáfora do Conrado que trata da dinâmica do sucesso que me esclareceu como eu podia ressignificar as coisas para me livrar dessa busca pelo plano perfeito.
    Ele disse que as pessoas acreditam estar correndo atrás do sucesso e na frente do fracasso. Quando ela se depara com o fracasso, ela se frustra pois acredita estar mais distante do sucesso.
    Na verdade, segundo ele e eu acredito, estamos correndo atrás do fracasso e o sucesso vai correndo na frente. Portanto para alcançarmos o sucesso devemos passar, ou melhor “atropelar”, o fracasso.
    Com essa nova forma de pensar, passei a achar o fracasso, parte natural do caminho para o sucesso, pois sempre que me deparo com um “fracasso” significa que estou mais próximo de alcançar o sucesso.
    Pensar assim me libertou dessa eterna busca pela perfeição e me permitiu agir mais e estudar na medida certa.
    Um Abraço,
    Felipe Baqui

    Responder
  16. Inacia Silva

    Bruno, parece que estás vivenciando minha situação. Este artigo fala tudo que estou passando; gosto do jeito que expressa as informações de uma maneira real do meu dia a dia. não consigo por nada em prática tenho muita informação porém não sei por onde nem como começar algo, as vezes tenho vontade de parar definitivamente mas, fico impulsionada quando te ouço ou leio seus artigos e comentários. gosto de me expressar, querer fazer algo relacionado a auto ajuda, produzir algum material que não seja necessário o corpo a corpo etc..Não sei o que
    Abraço de luz Bruno

    Responder
  17. Filipe Lopes

    Perfeito, era justamente o que ocorria comigo. Vou praticar o que me disse, mas só em ler já deu pra ver que é o norte que faltava.
    OBrigado

    Responder
  18. Maria Luiza

    Perfeito, exatamente o que eu estava precisando…simplesmente adorei. Obrigada Bruno!

    Responder
  19. Deise Mattos

    Boa tarde Bruno,

    Concordo com você, estamos diante de muitas informações e grande parte delas não são relevantes ao nosso negócio, saber filtrar o que realmente importa nos faz ganhar tempo e energia para o alcance de melhores resultados. Agir é o melhor negócio, enfrentar os nossos receios e validar nossas ideias nos trás um feedback de nossas ações. Tenho seguido o seu trabalho e devo confessar que você tem me dado coragem para seguir, enfrentando minhas limitações e receios, creio que agora tenho uma direção. Obrigada por sua contribuição.

    Responder
  20. Roberto Salgado

    Obrigado, Bruno.
    Ficou claro aqui aquilo que faltava para eu dar o próximo passo.
    Agora fechou tudo. Lá vou eu…

    Responder
    1. Sueli

      Olá Bruno! Li os comentários abaixo e respondi à alguns colegas, que pensava que isso acontecia somente comigo, e outra colega disse que parecia que você falava para ela, digo o mesmo Bruno, parece que foi comigo que você falou, enfim. Mesmo assistindo às palestras do Conapnl, ouvindo André Sampaio e VOCÊ, algo dentro de mim já mudou, e mesmo antes de ler seu artigo sobre sobrecarga, pesquisite. Minutos atrás me achava expert em pesquisas, me gabava por achar uma grande pesquisadora, “ledo engano cara Sueli”, estou mesmo é sobrecarregada de informações, várias profissões no meu currículo, no entanto, desempregada e sem um dindim no bolso rs. Enfim, GRATIDÃO BRUNO PELOS SEUS CONHECIMENTOS COMPARTILHADOS COMIGO. VOU AGORA MESMO ME MEXER. Bjs à todos

      Responder

  21. Ola Bruno, gostaria de agradecer. Sou terapeuta e estou iniciando como professora holística. Estava me sentindo sobrecarregada de informações e seu artigo me ajudou muito. Grande abraço

    Responder
  22. Julianna Gomes

    Bruno Juliani,
    É com alegria que comento esse artigo que respondeu exatamente aquilo que eu estava buscando. Parece que minha sintonia com seu estilo de trabalho é perfeita. Quando estou com alguma inquietação, leio e assisto vários profissionais, mas só quando você fala/escreve, a minha resposta aparece.
    Não é de agora que te acompanho, mas é agora que tomei a decisão que faltava para a minha mudança acontecer.
    Minha gratidão por tudo.

    Responder
  23. DAVI ALVES

    Olá Bruno.
    Excelente artigo! Estou passando exatamente por isso, já comprei vários cursos de e-mailmarketing e não consegui colocar nada em prática.
    Obrigado pelo artigo.

    Responder

  24. Bruno, muito bom seu artigo!
    Parabéns por compartilhar sua experiência com a sobrecarga de informações, pois sinceramente eu e muitos outros passamos por isso. E realmente ficamos paralisados com tanta informação. Não é atoa que a ansiedade é um dos grandes males do século, ou seja, nós temos informação pra fazer, queremos fazer, mas não fazemos porque achamos que precisamos saber mais ainda….rsrsrs
    Parece engraçado, mas na verdade é triste, pois realmente ficamos improdutivos e, na verdade, nós é que e nos sabotamos.
    Muito obrigado pela sua contribuição e pela suas soluções!

    Responder
    1. Sueli

      Nossa João Pedro! Você falou tudo. Passo pelo mesmo processo. Tantas e tantas informações, ansiedade só aumenta, dinheiro diminui a cada dia, pois não sai ainda do lugar. Tenho muitas, milhares de informações, daria uma excelente profissional, porém estou AINDA na estagnação. Mas vou me mexer assim que desligar este aparelho (computador), ou começar a agir. Creio mesmo que seja MEDO, como disse o Bruno…Medo do fracasso, sem ao menos TESTAR.
      Só tenho a agradecer ao Bruno Juliani e a vocês.

      Responder
  25. Rafael Alves Rufino

    Obrigado Bruno!

    Estou passando por isso no momento. Acabei de fazer um aula sobre equipe de liderança on-line pela ESPM. E toda hora parava pra ver e-mail atender telefone, responder minha mãe etc… Estou fazendo vários cursos on-line, além da faculdade que é presencial. Realmente uma sobrecarga de informações.

    Responder
    1. Sueli

      Caramba! Achava que isso acontecia só comigo!!!! Quem sabe possamos fazer um grupo dos EX-TAGNADOS rsrsrsrs. Um ajudando ao outro a se desvencilhar das amarras.

      Força Rafael!

      Abraços!

      Responder

  26. Bruno, muito interessante esse ponto que você apresentou, eu mesmo já fui muito mais estudioso. Após começar os cursos que estou fazendo contigo, tomei consciência desse me aspecto, que no meu caso, estava me limitando, de forma natural e não muito bem sabendo se estava ou não fazendo a coisa certa, me utilizei de uma das estratégias apresentadas, assim comecei a perceber melhor esse comportamento em mim e em outras pessoas, hoje posso dizer que tenho experimentado fazer algumas coisas para as quais já havia me preparado muito, e como você disse, faz muita diferença quando você experimenta botar em prática a teoria absorvida, os aprendizados se tornam mais congruentes dentro de mim, as habilidades começam a se destacar e cada vez mais as crenças referente ao medo do fracasso vai sendo substituída pela autoxonfianca de estar entregando o melhor que posso e principalmente muito mais docque meus clientes esperam…

    Muito feliz e empolgado por poder compartilhar minhas opiniões MN e despeço

    Responder
  27. Celia de Andrade Almeida

    Passei por isso a pouco tempo, e nem me dei conta de que poderia ser o excesso de informações, tive uma paralisia séria, no trabalho, e na minha vida emocional, fui pedir ajuda a um psicólogo, queria tomar as decisões certas que poderiam fazer a diferença na minha vida, e a solução de uma, afetaria a outra, deu uma “pane” no meu cérebro, nunca passei por nada igual, mas agora está tudo bem, graças a Deus!

    Responder
    1. Paulo Ferreira Andrade

      Cara Celia, isso é mais comum do que você possa imaginar, porém é algo muito sério. Um bom gerenciamento das emoções é fundamental para o equilíbrio de todas as áreas da nossa vida.
      Quase tive um colapso mental no trabalho por causa de questões emocionais e afetivas não resolvidas, mas a tempo detectei o problema e consegui reverter a situação. A lição que ficou é que devemos cuidar de todos os campos da nossa vida e jamais ignoram o incomoda profundamente nosso pensamento.
      Um abraço.

      Responder

  28. Efetivamente o excesso de informações tanto atrapalha quem está elaborando produto ou serviços como atrapalha, se utilizado o execesso de informações, o usuário dos serviços ou produtos oferecidos. Temos que lembrar que o usuário que procura informações ou recursos para seu aprendizado deve acessar a informações básicas, objetivas e claras para o seu entendimento. Numa segunda fase poderá ser mais aprofundada e cominformações mais expandidas. O seu texto está ótimo.

    Responder
  29. Edson Carvalho

    Incrível. A sensação era de que tu estavas falando de mim. Eu também passo por isto. Na busca de querer fazer o melhor e o medo de erra, faz-nos correr atrás de mais e mais informações que acabam tornando -nos improdutivos.

    Responder
  30. Andrea Japiassu

    UALAAAA,

    ontem mesmo falei sobre isso com uma amiga “pesquisite crônica”. Dei a dica de descarregar as informações que ela – e eu – possuímos e que está represada, criando uma pressão horrível. Hoje leio esse texto fantástico.

    Obrigada por colocar de maneira tão simples e clara uma epidemia que vivemos. Comecarei minha faxina e detox AGORA.

    Responder

  31. Maravilhoso texto, Bruno.
    Acho que no fundo todos, hoje em dia, geração Internet, sofrem de PA.
    Minha maior dificuldade é retomar minha carreira depois de um hiato. E a sobrecarga de informação é um grande empecilho. Estudo demais e encontro material demais, e na hora de executar, ou seja, alinhar um caminho e escolher uma estratégia para voltar ao mercado e divulgar meu trabalho, me atrapalho.
    Recentemente perdi uma boa oportunidade de colocação por causa disso. Me perdi numa discussão e, sem perceber, deixei passar chances importantes de trabalho.
    Lição aprendida.

    Responder

  32. Maravilha, Bruno. Sim, já passei por isso e tenho recaídas frequentes. ^^ Na real, vivo no paradoxo: faço muita coisa com o que aprendo – e isso já me levou a realizar muitos projetos – e ao mesmo tempo aprendo muito mais do que consigo fazer! E para essas horas, sim, suas dicas são certeiras, agradecida!

    Responder
  33. Luzilene Ripardo

    Tenho passado por isso nesse momento. A sede de conhecimento e a vontade de sair da minha zona de conforto, fizeram com que eu tivesse a “pesquisite”. Obrigada pelas informações. Você é uma pessoa admirável.

    Responder
  34. Fabio

    Obrigado, Bruno
    Sou compulsivo por informação, e procrastinador…sempre procurado o ideal, tenho dificuldade de agir
    Me identifiquei MUITO com este artigo, vou prática lo!

    Responder
  35. Zilma

    Obrigada Bruno.
    Suas palavras vieram de encontro com o que estava buscando. Tenho muitas informações e não estava sabendo como usá-las. \Lendo o que vc escreveu concluí que está na hora de decidir o que realmente quero por em prática. Obrigada mesmo. Abraço

    Responder
  36. Braz Almeida Neves

    O pns, porque você demorou tanto para escrever sobre isso? Cara 20% dos conhecimentos que já adquiri será capaz de me ocupar por um bom tempo.

    Grato Bruno, abraço.

    Responder

  37. Ótimo, Bruno.

    Você tinha toda razão ao me dizer que “esse vai ser um dos artigos mais úteis que você já leu em todos os tempos.”

    Obrigado, essas palavras caíram pra mim com o som de um trovão. Me fez parar e perceber o que estava fazendo de errado. Estou muito grato por ter compartilhado essas ideias.

    Agora vou trabalhar.
    Abraço.

    Responder

  38. Cara, eu estou passando por isso, mas falam que você esta no caminho certo quando admite e reconhece o problema que você esta passando.

    Mas não estou deixando barato e já dei um stop nisso, contratei um Coach e estou seguindo em frente sem pensar em algum curso especifico no momento, vou usar os cursos como um premio por uma AÇÃO tomada e um projeto concluído.

    Vlw Bruno, bom texto como sempre e nos vemos por ai.

    Abraço Edgar Machado

    Responder


  39. Bruno, na mosca!!! Gratidão, amigo. Você falou tudo. Estou vivendo isso na pele e completamente paralisado diante de tanta informação. Gostei demais das tuas dicas e vou colocá-las em prática. Esse é realmente um estágio muito cruel pra quem está buscando um caminho diferente na vida e nos negócios. Chega de perder tempo. Obrigado!

    Responder
  40. Cinira Guimaraes

    Muito bom, chegou exatamente no momento que me sinto assim: Muita informação e pouca ação. O problema é que para por em prática ainda preciso de algum elos e é isto que estou buscando. Como você entrou no ponto Bruno, também vou direto ao ponto. Estou desenvolvendo um produto e quero vendê-lo como e-book e/ou palestra e tecnicamente não sei colocá-lo na rede. O problema é que todas as informações conseguidas não são concluídas – e é logico que entendo que seu produtor precisa vendê-la. Mas o meu momento atual não favorece a compra de nenhuma ferramenta e o remédio é esperar.
    Grata por sua dedicação e incentivo
    Cinira

    Responder
  41. Carlos

    que palavras!!!…. estava precisado exatamente delas, estou perdido de tantas informações, depois dessa, vou sentar e decidir por um caminho……obrigado por esse artigo!!! Abração!!!

    Responder
  42. Elisa

    Bruno, parece que você colocou uma câmera pra me seguir rs. Desde que tomei a decisão de encontrar um novo caminho na vida estou consumindo informações demais e me sinto paralisada diante de tantas opiniões. Sem contar o medo, afinal a gente descobre que tem sempre alguma informação nova que “estava faltando” e vai virando uma bola de neve. Vou começar um detox de informação e produzir com o que eu tenho.
    Obrigada!

    Responder
  43. Katia Toledo

    Bruno, parece que Deus ouviu minhas preces, pois estou passando por isso neste momento. Já tenho 2 formações em coaching e parece que não é o suficiente e que preciso saber mais e saber tudo e estar totalmente preparada para apoiar qualquer tipo de assunto que o meu coachee me trouxer. Estou lendo e pesquisando tanto que sinto que minha cabeça está gigante. Gostei muito de suas dicas, principalmente a de testar uma hipótese, desta forma saio do mundo das idéias, me distancio do medo de errar e entro em ação. Muito Obrigada e um grande abraço! To seguindo você!

    Responder

  44. Excelente matéria.

    Tenho passado por isso e estou para relançar meu projeto e contratei uma empresa de marketing para fazer isso, e ela me bombardeou e informações para a criação do site e das campanhas, porém eu já fazia um tipo de marketing que funcionava antes, pois tenho meu projeto andando com algumas pessoas e dando muito certo com elas, e ai decidi criar um outro site para lançar mais rápido o projeto enquanto a empresa de marketing não termina o primeiro.

    Em meio a construção do segundo site, lembrei que estava perdendo o foco, e dizendo outra coisa sobre o meu projeto, estava falando de algo que nunca havia feito, perdendo totalmente o foco do proposto passado que havia funcionado.

    Retornei ao grupo 2 que está criando o site 2, e disse que a ideia foi uma e nós alteramos tudo e agora vamos retornar ao que tínhamos proposto no inicio.

    O que me fez mudar de foco foi o bombardeio de informações que tenho assistido no youtube e outros canais e achar que vender era apenas um dos objetivos, mas não era pois o foco anterior era de ensinar o nosso produto antes de vender para não ter problema com suporte depois.

    Eu crio sistemas automáticos para realizar operações de compra e venda dentro do mercado financeiro, se eu não focar em ensinar as pessoas a aprenderem o meu sistema e o comportamento do mercado financeiro antes de vender será um desastre.

    Valeu Bruno pela dica.

    Responder

  45. Grande Bruno

    Muito bom este artigo. Eu mesmo tenho passado por muito dessas situações onde buscava muito conhecimento e terminava ficando engessado com tantas informações importantes, mas, sem saber como usar no momento certo.

    Ultimamente tenho mudado o meu comportamento. Para cada hora de conhecimento tenho buscado investir o dobro de aplicação. Esta nova forma de ver as coisas tem me ajudado muito a realizar mais e ter mais satisfação com o que faço e realizo.

    Parabéns pela escolha do artigo.
    Reinaldo Alves

    Responder
  46. Júnior Dutra

    Passo exatamente por isso ! Engraçado que já tinha tomado a decisão de ” filtrar ” minhas fontes, e não sabia se estava agindo de forma correta. Agora , com meu nicho definido ( defini ontem ! ! ! ) e com seu artigo tenho certeza que estou tomando o rumo certo. Valeu Bruno ! Aguardando a abertura da sua turma pra formação ! ! !

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *