Como Superar Objeções 1 de 3

 

Faça Parte do Método M.A.R.C.A.



38 Comentários


  1. SENSACIONAL esta explanação Bruno Juliani.
    O seu modo de explanar os fatores que levam o prospect a comprar ou não e a entender em que estágio o mesmo se encontra é simplesmente FANTÁSTICO.

    Me considero o pior vendedor do mundo. Por necessidade extrema, tenho tentado entender um pouco sobre a arte da venda mas no fundo imaginava que eu nunca iria ter a mínima noção de EM QUE PONTO o CLIENTE SE ENCONTRA, O QUE FAZER EM CADA CASO.
    Mas você não só mostra como identificar o tipo de cliente como O QUE FAZER e QUANDO FAZER para conquistar a venda.

    Contudo o mais impressionante para mim que sou muito técnico, foi o fato de que você explana tudo de uma forma tão clara e simples na MATRIZ com as duas variáveis que me pareceu estar vendo uma operação matemática (tão simples como uma soma de 2+2).

    Sinceramente. Este vídeo para mim foi como um marco histórico onde eu percebi que realmente hoje eu consegui uma coisa que para mim parecia impossível: Começar a entender um pouco de vendas.

    Parabéns Bruno Juliani.

    Responder

  2. Ola

    O poder da síntese… uma vez alguém me disse isso e eu gravei para sempre, e percebi esse poder neste vídeo, pois em menos de 15 minutos você conseguiu passar um conteúdo esclarecedor que com certeza me ajudou e vai ajudar muita gente.

    Parabéns e lhe sou grata!

    Responder

  3. Parabéns Bruno! Estou surpreso com a quantidade de material de excelente qualidade que você tem disponibilizado! Pretendo fazer em breve seu treinamento. Abraço!

    Responder

    1. Oi Márcio,
      Estou realmente dedicado a ajudar o máximo de agente de mudanças que eu puder! Você será muito bem vindo em um de meus treinamentos. Ontem recebi um e-mail da Silvia da Parllare, espero poder fazer uma parceria com vocês.
      Um forte abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder

  4. Bruno,

    Gostei do sistema cartesiano

    e a simplicidade de como podemos elevar

    ou diminuir esses graus de objeções.

    Nós que vendemos de porta em porta.

    De vez em quando conseguimos realizar vendas

    no zero a zero .

    É que eu levo uma certa vantagem por ser

    descendente de japonês,a rejeição é pouca.

    Além do que A Empresa que trabalho tem

    tradição e o produto é de 100% aceitação.

    Um abraço!

    Responder

    1. Carlos,
      Tenho grande admiração por vendedores porta-a-porta.
      Espero poder contribuir com seu trabalho… e suas comissões!
      Um forte abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  5. Leandro Viegas

    Oi, Já estou confiando em mim e no curso Marca, para o meu desenvolvimento, espero que os meus atendimentos em Psicoterapia deslanchem. Gostei muito deste vídeo. Senti firmeza e confiança no vendedor, você! Falta agora é desenvolver as estratégias de captação de clientes.

    Responder
  6. Leandro Viegas

    Gostei muito da explanação, minha duvida, como aplicaria na minha atividade de Psicoterapia holística.

    Responder

    1. Leandro. Se aplica primeiro afastando quem não merece a sua confiança, quem não acredita naquilo que você acredita! Depois basta você mostras para aqueles da sua tribo, que são alinhados com você que você pode ajuda-los no tempo DELES. Esse é o segredo! Todos tem seu tempo e você pode ajuda-los em qualquer que seja esse tempo.

      Responder
  7. DANIEL

    Bruno,
    muito esclarecedora essa explicação ,digamos de, “perfis de potenciais clientes “,e melhor ainda o método utilizado para construir confiança e vender seu produto.
    Sinto que confiança é a chave do sucesso em qualquer área da vida, diria da própria Vida; assim pessoalmente tem sido o foco de meu trabalho pessoal e profissional ao longo dos últimos tempos.Um verdadeiro mestre e professor é aquele que te ensina andar por si mesmo, então parabéns e obrigado !!!
    Nos vemos no M.A.R.C.A…

    Responder

    1. Daniel,
      Isso é muito legal. Assim como ter você por perto. Confiança é a chave do sucesso em qualquer área da vida MESMO. Os bons instigam a confiança, os maus dilapidam. Veja por exemplo o nosso governo, ele quer manter o poder detonando a confiança e espalhando o medo. Os bons deixam todos ao seu redor mais confiantes…
      Obrigado por comentar.
      Um forte abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  8. Paula

    Bruno, adorei sua explicação, me identifiquei que não confio em mim, já investi muito em cursos e não aplico ! Aguardo seu retorno.

    Responder

    1. Oi Paula, isso é outra coisa. Estou falando sobre vendas e não sobre atitudes. Você confia em si na hora de comprar… não confia na hora de executar.
      Só posso falar:
      Na hora de Começar, Saiba que Mal Feito é Melhor Que Não Feito. Pelo menos na hora de começar…
      Vou fazer postagens sobre proatividade…
      Um forte abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  9. Creuza M Salvaterra

    Você é muito bom. Tenho acompanhado seus vídeos e você dá umas “pegadas” interessantes. Parabéns

    Responder

    1. Obrigado Creuza!!! Eu quero que os Agentes de Mudança tenham uma “pegada” forte em relação aos seus negócios!!!
      Um abraço, Bruno Juliani.

      Responder
  10. Renata Meirelles

    Estimado Bruno,
    Bom dia.
    Ótimo material, orientou muitos pontos.
    Tenho uma pequena dúvida: O cliente confia nele e não no vendedor e esse vendedor não tem um case de sucesso para apresentar, relacionado ao mesmo serviço por exemplo. Como articular nesse caso?
    Aguardo sua consideração e contribuição.
    Sucesso em seu trabalho.
    Estou preste a fechar um trabalho, hoje. Sendo assertivo e positivo com toda certeza contratarei o seu serviço.
    Um grande abraço.
    Cordialmente.
    Renata Meirelles

    Responder

    1. Olá Renata,
      Excelente pergunta. Se o cliente confia em si mas não no vendedor pode ser que a garantia não funcione, mas deve ser apresentada de qualquer forma. Exemplo: Se você comparecer nos 3 primeiros encontros e achar que não sou a pessoa certa para te ajudar a alcançar esse objetivo você pode desistir e eu te reembolso 100% do que você pagou. Caso ele não tope, você pode oferecer algo de menor valor ou continuar oferecendo conteúdo gratuito até ele confiar na sua autoridade.
      Um grande abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  11. Roseli

    Muito exclarecedor querido, eu já faço parte dos inscritos, demorei um pouco pra entrar, mas no ultimo video eu me desafiei e fui lá me inscrever,rs!!
    Eu sou uma pessoa comunicativa e gosto de novidades, principalmente se é de uma área que estou conhecendo e amando!! Assim está acontecendo comigo em relação a formação Coach!!
    Ainda não fiz pq estou com problemas financeiros, e isso é realmente uma prova de fogo.

    Sucesso a nós!!
    Abraços.
    Roseli

    Responder

    1. Roseli,
      Todas fazes passam! Sua prioridade deve ser resolver esse problema financeiro, depois sim faz a formação em coaching.
      Em julho estarei com outra turma de Coaching & Mentoring com preço amigável.
      Um abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  12. Tereza Buch

    Nunca consegui me imaginar “vendendo”…mas quero chegar lá! O seu jeito de explicar é ótimo! Muito obrigada.

    Responder

    1. Tereza,
      Estou certo que você “vende” todo dia. Desde crianças nós negociamos e vendemos o tempo todo:
      Leite por Silêncio
      Comportamento por Presente
      Convencer o Pai a deixar sair….
      Tudo isso são vendas.
      É nato de qualquer ser humano!
      Seja bem vinda.
      Bruno Juliani.

      Responder
  13. Genivaldo Messias

    Muito bom, abre nossa visao como vendedores e fortalece nossa confiança.
    Vou participar com certeza

    Responder
  14. Amilcar NR

    Excelente,
    é bem o que preciso pois, como vendedor, sou muito tímido e deixo de fechar muitas vendas por causa disto.
    Gostarei de saber como quebrar esse paradigma da minha vida profissional.
    Muito grato Juliani.

    Responder

    1. Amilcar,
      Obrigado por expor sua situação. Na semana que vem, vou postar alguns vídeos que ajudam na quebra de paradigmas!
      Um forte abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  15. JOAO

    eu o desafio a usar-me como CASE-conseguindo -me tornar em um SUCESSO ,com o compromisso de pagamento apenas quando conseguir resultados

    Responder

    1. Respondendo a pergunta logo abaixo. Pessoas que dão testemunho são provas que algo funcionou. O que acontece é que você ainda não se identificou com nenhum testemunho, no dia em que olhar para uma pessoa que você confiar e souber que estava em uma situação parecida com a sua, e mudou você aprende a confiar também. No mai te sugiro o Livro do Anthony Robbins, Desperte o Gigante Interior. Vai te ajudar.. vai por mim!

      Responder
  16. JOAO

    estou no nivel-nao confio em voce nem em mim, e DEPOIMENTOSsomente aumentam a desconfianca-pois prova que as pessoas que fizeram depoimento sao diferentes-confiantes-possuem caracteristicas que nao possuo e pioram minha auto estima a minha crenca de que nao sou capaz -frustrante

    Responder

    1. Oi João,
      Sim, sem dúvida terei prazer em te fazer de case… mas entenda como as coisas funcionam… eu não tenho pressa!
      Você pode ir me seguindo e colocando em prática aquilo que eu vou ensinando de graça! Daí, quando eles te derem algum resultado, daí você JÁ É UM CASE e pode se entusiasmar a PAGAR, comprando um livro ou curso mais barato e aplicando… daí depois que te der resultados talvez você se encoraje a fazer um mais avançado… e daí por diante.
      Ao que você falou e eu seguindo minha filosofia, quero que primeiro você aprenda a confiar ou em mim ou em você…
      Eu te desejo muito sucesso e agradeço ter postado aqui o seu caso!
      Um abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder
  17. Eloa Contreiras

    Gostei muito! Já vivi estas situações e a minha atitude não foi como sugerisses, e consequentemente não deu certo.Espero enfrentar de maneira diferente estas situações.Obrigada pelas dicas.

    Responder

    1. Eloá,
      Estou curioso para saber depois de um caso onde tudo vai ser diferente! Obrigado por me seguir e sempre comentar.
      Um abraço,
      Bruno Juliani.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *